Funerárias de Minas criam plano de contingência para atender alta de mortes por Covid-19

Com o agravamento da pandemia em Minas Gerais, o Sindicato das Empresas Funerárias e Congêneres (SINDINEF) adotou medidas preventivas para enfrentar as dificuldades no processo de atendimento às famílias e também para que o setor não entre em colapso.

Desde o início da pandemia do coronavírus, 21.540 pessoas morreram em Minas pela doença. Os casos confirmados chegam a 1.014.079. Nas últimas 24 horas, houve 237 óbitos e 10.975 novos casos.

Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira (19), o presidente da entidade, Daniel Pereirinha, detalhou a situação e disse que precisa haver uma mobilização dos representantes em ações conjuntas. “Importante frisar que o setor não está em colapso e a situação ainda se encontra sob controle apesar do aumento de óbitos. Estamos trabalhando com planejamento e união entre os representantes do setor, espalhados pelos municípios mineiros. O que fazíamos individualmente agora vamos fazer de forma coletiva, coordenada e planejada. Só assim conseguiremos ser maior que a crise”, afirmou o presidente.

Pereirinha disse ainda que foi feito um plano de contingência para a produção dos caixões para dar conta da demanda. “Alinhamos para a fabricação de um modelo padrão para os próximos 30 a 60 dias. Assim, as fábricas otimizaram a produção”, explicou.

O presidente do sindicato também falou sobre a questão da vacinação para os profissionais do setor “É de extrema relevância. Os profissionais da área precisam estar imunizados contra a Covid-19”, finalizou.

O sindicato representa 74 empresas em todo Estado com cerca de 3.500 trabalhadores.

Be the first to comment on "Funerárias de Minas criam plano de contingência para atender alta de mortes por Covid-19"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*