Ex-office boy de funerária, lutador sergipano de MMA busca o cinturão

Luta que definirá o próximo desafiante do cinturão dos galos do Jungle acontece em 31 de janeiro

Desde muito cedo o sergipano Marcelo “Guará” Guarilha (na foto com a perna no alto) se acostumou a enfrentar as adversidades impostas pela vida. Sua primeira agrura aconteceu entre a adolescência e a vida adulta, quando ele perdeu os seus pais. Guará começou a trabalhar desde então, fazendo bicos como motoboy, office boy de funerária, motorista de ônibus e até vendedor de sanduíche para garantir o seu sustento. Depois de muita ralação, ele conseguiu se tornar lutador de MMA e hoje é dono de sua própria academia em Sergipe.

Vindo de seis vitórias seguidas, duas delas pelo Jungle Fight, Guará lutará no dia 31 de janeiro, na edição 101, contra Fernando “Ben 10”, em desafio que poderá definir o próximo candidato ao cinturão dos galos do Jungle.

“Minha expectativa é a melhor possível. Sou um cara bem versátil, trabalho bem na trocação e também o meu Jiu-Jitsu. Estou bem confiante e empolgado. Eu sei que vou fazer uma boa luta. O Ben 10 é um cara que ganha as suas lutas na decisão e é finalizador. Ele nunca nocauteou um adversário. Então, acredito que ele vá sentir a minha mão. E quando ele sentir a minha mão, ele vai cair. Mas sou muito bom de Jiu-Jitsu também. Onde a luta se desenrolar, eu vou sobressair. Estarei sempre um passo a frente dele. Eu sou o melhor dessa categoria, e vou mostrar isso no dia 31”, garantiu.

Sergipano da cidade de São Cristovão, Guará pratica MMA desde 2011 e vai para a sua vigésima luta. No entanto, ele ainda é pouco conhecido do grande público. Seu primeiro contato com as artes marciais aconteceu aos 15 anos, quando ele se mudou com os seus pais para Goiânia.

Guará começou no Boxe Chinês e depois foi para o Muay Thai, onde construiu um cartel com 22 vitórias e apenas duas derrotas. Logo no início de carreira ele nocauteou três oponentes para vencer um torneio de Muay Thai. Atualmente ele é o campeão sergipano da modalidade. Fã de Anderson Silva, Rodrigo Minotauro e de Conor McGregor, ele logo se interessou pelo MMA e, em 2011, quando tinha apenas 19 anos, fez a sua estreia nos ringues. Guará venceu e recebeu o prêmio de melhor nocaute da noite das mãos do ex-campeão do UFC Renan Barão.

Be the first to comment on "Ex-office boy de funerária, lutador sergipano de MMA busca o cinturão"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*