Um coração de Funerário que ainda bate no peito.

Um coração de Funerário que ainda bate no peito.

Esta semana um amigo de todas as horas aventou sobre a possibilidade de passar parte de sua operação para um fundo. A sensação que senti ao ouvir sua análise, em forma de desabafo diante dos rumos que o setor está tomando, me entristeceu de forma ímpar. Sinto, cada dia mais, que perdemos, não sei se a luta ou a inocência, não importa, seja qual for a situação perdemos nosso viés funerário, no lugar dele hoje predomina uma pluralidade de novos perfis, atuando cada um segundo sua própria crença e convicção.

Não digo que seja errado, nem estou criticando, quem sou eu para julgar?, apenas sinto, desde já, saudade de pensar só como funerário, era tudo tão mais simples e mesmo sendo tão difícil, Belo.

Tínhamos uma fé, até então inabalável, que ser funerário era um sacerdócio mais significante que os holofotes da soberba, ao qual tantos buscam se colocar a frente.

Quem bom que os anos me alcançaram e se acumularam para não me permitir ver o fim de um sonho que ainda acalento, que ainda bate no coração deste velho funerário.

Lourival Panhozzi
Só um Diretor Funerário, mas não completamente só, ainda….

Be the first to comment on "Um coração de Funerário que ainda bate no peito."

Leave a comment

Your email address will not be published.


*