Cremação Econômica e Ecológica

Religião à parte, a cremação é prática milenar. Gregos, romanos, hindus e antes deles centenas de povos já a adotavam, por ser mais prático e impossibilitar a proliferação de bichos e microrganismos que acabavam por contaminar rios, terras e populações numa época em que a higiene era precária.

Atualmente o processo está ligado ao conceito de ecológico e atende a demanda numa era onde espaço é um privilégio.

Assim, a cremação sempre esteve ligada, de alguma forma, ao que chamamos hoje de alternativa sustentável. Então, nada mais lógico que a oferta de meios mais econômicos para esse processo sejam cada vez mais comuns.

O crescente aumento do numero de crematórios no Brasil fez surgir empresas especializadas em urnas para cinzas e em fornos de cremação, o que representa um avanço para o setor, ampliando a oferta.

A grande novidade em 2017 vem da Anima Bronze, empresa com 7 anos de tradição, atualmente instalada em Itajaí – SC. É o Sistema Integrado de Locação Anima Eco. Nome extenso para um produto que promete enxugar custos.

Em outros países, principalmente nos Estados Unidos, já é comum, mas no Brasil começa agora a entrar no mercado. E… nada mais é que um conjunto de urna de madeira – para uso durante o velório e cerimonias pós mortem – e refil em papelão – para condicionar o corpo,. É esse refil que vai para o forno crematório, propiciando menor tempo de incineração e redução na emissão de monóxido de carbono na natureza.

Ecológico, prático, higiênico e honroso.

Não existe manuseio do corpo, uma vez que este é colocado diretamente no refil de papelão, que permanecerá na urna até o final do velório. Este refil será então retirado, para seguir diretamente para a cremação e a urna em madeira poderá ser locada para outras cerimônias”, explica Valmir Puato, da Anima Bronze.

O Produto – O Sistema Integrado de Locação Anima Eco comporta até 100 kg (seco) e o refil de papelão só se encaixa perfeitamente no modelo de urna de madeira importado pela Anima Bronze. Ela é retangular e tem uma abertura nos pés, para entrada e saída do refil, que fica perfeitamente camuflado pelos tecidos e adornos comuns nos funerais.

As caixas refil são confeccionadas no Brasil, fornecidas abertas em fardos de dez unidades, que ocupam, pouco espaço. O cliente é responsável pela montagem que, garantem os fornecedores,  é “ráida e intuitiva”.

Não é possível adaptar o refil em outros tipos de urnas.

“A Urna de madeira é adquirida uma só vez e, de tempos em tempos, deve passar por uma “revisão” para corrigir alterações causadas pelo manuseio. Este tipo de trabalho, pode ser feito por qualquer marceneiro. A Caixa refil é o produto de consumo que a funerária/crematório terá que adquirir de forma regular, com base no número de serviços. A Urna de madeira é importada, portanto, seu valor fica acima de qualquer modelo produzido nacionalmente. Mesmo assim, abaixo da média de qualquer urna importada. O valor do refil é, sem dúvida,  menor do que qualquer urna padrão”, adiantou Valmir sobre a utilização e os custos do produto.

A Anima Bronze tem condições de atender todo o mercado brasileiro, como logística de entrega e dinâmica de prazos.

 

A Anima Bronze

 

A Anima Bronze começou suas atividades em 2010, no interior de São Paulo e está, desde 2015, sediada em Itajaí, SC.  Liderada pelos sócios Valmir Puato e Vera Whitaker, tem em seu DNA a inovação e a busca por novas tecnologias. “Sempre fizemos questão de trazer e apresentar novidades para o mercado funerário brasileiro, principalmente no que diz respeito à cremação”, conta Puato.

Hoje a Anima Bronze tem uma grande variedade de Urnas para Cinzas, importadas regularmente de vários países do mundo, mantendo um amplo e multimixado estoque para pronta entrega.

A Anima Bronze também comercializa toda uma linha de porcelanas e insumos (papel, toners e vernizes), para a confecção de fotoporcelanas para túmulos.

Mais informações sobre o Sistema Integrado de Locação para Cremação e outros produtos: T. (47) 3045-6197 ou http://www.animabronze.com.br

 

 

Data original:
Fonte da notícia:

Seja o primeiro a comentar em "Cremação Econômica e Ecológica"

Deixe um comentario