2017 foi positivo para o Setor Funerário

Retrospectiva mostra que quem investiu em qualificação e melhorias sai na frente e revela que será necessário se unir ainda mais para enfrentar 2018

Não, não foi menos difícil driblar a crise ou ser bem sucedido nos negócios, porém, os bem informados, os mais planejados e aqueles que investiram em si mesmos puderam colher bons frutos e se preparam para um 2018 torcendo por menos percalços e mais bonança para  toda a nação.

Num resumo muito breve, podemos contabilizar 100 novos profissionais de Tanatopraxia e Reconstituição Facial, formados nos cursos oferecidos pelo CTAF ao longo de 2017; mais  de 5.700 empresas clientes; mais de 15 mil leitores/mês da Revista Diretor Funerário, que completou 20 anos e 250 edições em fevereiro; e mais de 750 mil acessos / ano ao site www.funerarianet.com.br.

A categoria sentou em novembro de 2016 em Indaiatuba – SP para conhecer a própria realidade e traçar planos para o ano vindouro. Ao final de 12 meses é possível listar as ações que saíram do papel através do emprenho da ABREDIF e de todos os Sindicatos e entidades de classe: a conquista de um CNAE próprio para a atividade de comercialização de Planos Funerários; a ação contra atravessadores e/ou “plataformas” e o questionamento junto aos órgãos reguladores de seguros no país sobre a legitimidade da forma atual de comercialização do Seguro Funerário. Não estava no planejamento, mas no meio do caminho teve também um embate sobre a contaminação do solo de cemitérios e as formas e produtos para “evitar” o extravasamento de líquidos dos corpos em decomposição.

Tivemos algumas perdas e para citar algumas: a revista de janeiro de 2017 já estampava o luto pelas 71 vítimas do acidente com o avião do time de futebol da Chapecoense – e enaltecia a agilidade dos funerários colombianos que em 72 horas recolheram e liberam os corpos para que as famílias brasileiras pudessem se despedir de seus entes queridos.

Jacques Marret, o francês que esteve no Brasil na Funexpo de 97 para falar sobre Tanatopraxia – pela primeira vez – aos Diretores Funerários locais. E Ilso Sanchez Parra – o Voinho – cuja passagem entristeceu todo o setor, em setembro.

Pelas paginas da Diretor Funerário deste ano passaram também as vitórias de muitas empresas: OAF em Araruama –RJ, que inaugurou um belíssimo centro velatório ou a Vale da Paz, de Iguape- SP, ou ainda a Funerária São Cristóvão – Angelus Prever, de Porto Velho – RO. A Gold System vencedora na etapa nacional de prêmio promovido pelo SEBRAE  ou o Grupo Vila – Morada da Paz – detentor do Pursuit of Excellence Award 2017, concedido pela NFDA dos EUA em novembro.

A OSSEL, parceira do CTAF no curso de Tanatopraxia, comemorou 50 anos de tradição, aliada a modernidade, em outubro. A Cristo Rei, de Corumbá – MS, completou 5 anos da campanha que está promovendo hábitos mais saudáveis para seus clientes e toda a cidade. A Rede Ideal de Assistência Familiar – de Ribeirão Preto (SP), estendeu para 33 cidades da região e do Sul de Minas Gerais a “Ação Estrelinhas”, que oferece funeral gratuito aos menores de 12 que falecem.

Teve ainda os “conselhos” da ABREDIF/SEFESP para os contratos de Planos Funerários. Cláusulas abusivas e temas que a Justiça sempre veta foram contemplados.

 

 

Data original:
Fonte da notícia:

Seja o primeiro a comentar em "2017 foi positivo para o Setor Funerário"

Deixe um comentario

Automatic Content Protection Powered by - Wishlist AutoProtect